sábado, 21 de maio de 2011

Religião e Ciência

Hoje, mais um capítulo de um embate famoso foi traçado entre Religião e Ciência.

A relação conturbada destas duas começou há muito tempo. A 'Igreja Católica Apostólica Romana' baseou muito de seus conhecimentos em cima do que o Império Romano absorvera dos Gregos e, com eles, a "física" aristotélica que pregava, por exemplo, que a Terra era o centro do universo. Coube a um dos primeiros cientistas do "ver para crer", Galileu Galilei - o maior herege de todos os tempos, bater de frente com esta teoria. Seu ato causou indignação na igreja. O então Papa Urbano VIII que fez com que o pobre astrônomo, como um santo antes dele, negasse aquilo que pregava.

Dando um pulinho dos renascentistas aos iluministas, Darwin fora outro cientista que encontrou turbulências na conflitante relação entre céticos e crentes. Sempre titubeante quanto à publicação de suas ideias sobre a Evolução, Darwin preocupava-se com o choque que suas teorias poderiam trazer ao mundo. Era o ponto máximo de eresia pensar que o homem evoluíra do macaco e, na época, muitos afirmavam que "Deus estava morto" a partir do "Origem das Espécies".

Contudo, apesar destes e de vários outros atritos entre Igreja e Pensadores, Experimentação e Fé encontram-se volta e meia na mídia. E foi o que aconteceu hoje com mais um capítulo escrito pela figura maior do Cristianismo. O Papa Bento XVI teve um contato direto com os céus, fazendo uma entrevista com a tripulação da Endeavour que conta com astronautas de diversos países, inclusive um italiano agraciado com uma medalha concedida pelo próprio pároco!


Em um dos pontos altos para usar um pleonasmo - da conversa com os astronautas no espaço o Papa pergunta aos cientistas em que aquele tipo de trabalho científico poderia contribuir com a Paz Mundial. O chefe da missão, o astronauta Mark Kelli responde de uma forma graciosa afirmando que do céu não se vêem fronteiras, não se distinguem países ou regiões que normalmente lutam por recursos, sejam ele minerais, vegetais ou energéticos. Mark afirma ainda que a tecnologia desenvolvida para usar a energia solar (captadores, baterias, foto-células) poderão ser utilizadas para diminuir este impasse mundial que gera tantas guerras.

Se no lugar do Papa, eu estivesse fazendo as perguntas, a primeira questão seria sobre o cabelo da ocupante feminina do posto de astronauta nesta viagem da Endeavour. O que faz com que um cabelo liso fique black-power (à esquerda na foto acima) na gravidade zero. No lugar dos astronautas, rebateria a pergunta sobre como a igreja propicia a Paz Mundial. E se quiser treinar seu inglês veja a entrevista, na íntegra, no Youtube http://www.youtube.com/watch?v=kj3BjfcJDHI e note como fica a mistura de Inglês com Italiano pela boca do pontíficie (é ruim que os astronautas já não conheciam aquele questionário: é impossível entender o que o Bento fala!).

Por fim, acho que religião e ciência podem sim dar as mãos. Ambas contribuem, ao seu modo, com a Paz. Uma pode ainda contribuir diretamente com a outra. Durante os anos de meu mestrado, me agarrava a Santo Antoine Lavoisier, implorando para que a conservação das Massas sempre fosse obedecida em minhas práticas na câmara de exaustão de gases, romanticamente conhecida por Capela Química.


AMÉM!

Nenhum comentário: